segunda-feira, 14 de julho de 2008

Atribulações de um chinês na China - Júlio Verne



Júlio Verne é sem dúvida o autor predileto de 90% dos jovens nascidos entre a a Guerra da Criméia e a Guerra da Coréia. é só perguntar a qualquer coroa ainda vivo se não se divertiu na infância lendo "Viagem ao centro da Terra" ou "20 mil léguas submarinas", entre outras famosas leituras obrigatórias para este pessoal. Eu pelo menos sempre ouvi estes papos, e sempre fiquei curoso para ler um destes livros, mais ainda após ver o divertidíssimo filme "A volta ao Mundo em 80 dias", versão de 1989 com debochado gênio das comédias Pierce Brosnan. Resolvi matar esta vontade com "Atribulações de um chinês na China", livrinho de título simpático que encontrei num sebo por R$ 4,00.

A obra de Verne é marcada principalmente por dois aspectos do mundo oitocentista em que o autor vivia. Em primeiro lugar, há um grande interesse nas descrições sobre os países e regiões do mundo que os europeus estavam descobrindo, bem como a valorização das características nacionais, tendo em vista o nacionalismo exacerbado das potências imperialistas em rivalidade. Só pelos títulos dos livros podemos constatar isso: além de "Atribulações de um chinês na China", encontra-se na contra-capa títulos como "Aventuras de três russos e três ingleses", "O país das peles" ou "O caminho da França". A outra característica latente é o impacto das descobertas científicas da época, quando se acreditava que a ciência levaria o homem a um grau de evolução sem precedentes e todos os problemas da humanidade seria resolvidos desta forma (depois vieram as grandes guerras do século XX e viu-se que a humanidade estava ainda muito distante da perfeição). Dono de uma imaginação fantástica, Verne criou em seus trabalhos diversos inventos e situações ainda inexistentes em sua época, mas sonhadas e aceitas como perfeitamente possíveis num futuro talvez até próximo, como em "As 20 mil léguas submarinas" ou "Da Terra à Lua", o que o torna portanto um avô da ficção científica.

O presente livro apresenta ambas estas características, seja com as descrições da China do século XIX ou com maravilhosos equipamentos de navegação. "Atribulações de um chinês na China" conta a história de Kin-Fo, um milionário de nascença que nunca sofreu fortes impactos na vida e que está prestes a casar com a jovem viúva Lé-ou, mas que por um golpe do destino se mete numa jornada mirabolante pela China e se põe em situações pitorescas e curiosas. Contar mais do que isso pode estragar o prazer da leitura.

Confesso que esperava mais de um livro de Júlio Verne. "Atribulações de um chinês na China" começa muito bem, mas apresenta muitas partes descritivas cansativas, o que não o torna um livro que dê vontade de se terminar logo, e faz com que a extensão de 219 páginas aumente consideravelmente, mas não por isso se torna um livro ruim, dada a criatividade e a graça de algumas passagens e um final agradável.

Considero "Atribulações de um chinês na China" regular, mas sei que não vou julgar o autor por uma única obra, e tentarei novamente com um livro menos underground de Verne, tendo em vista minhas gargalhadas em "A volta ao Mundo em 80 dias" citado anteriormente.

Editora: Livraria Bertrand
Páginas: 219
Disponibilidade: esgotado
Avaliação: * * *

2 comentários:

  1. Li a sua crítica e gostaria de lhe perguntar se poderei colocá-la no blog dedicado a Jules Verne.

    www.jvernept.blogspot.com
    jverne@portugalmail.pt

    Cumprimentos
    Fred

    ResponderExcluir
  2. Sem problemas, será uma honra, amigo.

    ResponderExcluir